Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Hostel

A vida privada de cada um de nós compreende a sua intimidade, mas não se esgota nela. Afinal, como dizia a poetisa “Como se um grande amor cá nesta vida não fosse o mesmo amor de toda a gente!...”.

Hostel

A vida privada de cada um de nós compreende a sua intimidade, mas não se esgota nela. Afinal, como dizia a poetisa “Como se um grande amor cá nesta vida não fosse o mesmo amor de toda a gente!...”.

24
Mai19

Uma Estrelinha no Céu

Luisa Brito

IMG-20190521-WA0002.jpg

 

- Será que o cão tem espírito?, perguntou-me o filho do meio.

Olhei para ele surpreendido. E acabei por responder:

- Não sei sequer se nós próprios temos espírito ou se é o espírito que nos tem ou está em nós.

- É isso o que eu queria dizer. Olha para ele.

Era um fim de tarde de Agosto, o cão estava parado frente ao mar, o pelo muito luzidio, a cabeça levantada, narinas abertas, sorvendo o ar.

- Ele está a cheirar o espírito. O espírito da terra, o espírito do vento, o espírito das águas.

 

Manuel Alegre in Cão Como Nós

11
Mai19

Humor vs. Ironia

Luisa Brito

LOL.jpg

 

Mas há riso e riso, e devemos distinguir o humor da ironia. A ironia não é uma virtude, mas uma arma – virada, quase sempre, para os outros. […] Útil? Sempre que necessário! Que arma não é útil? Mas nenhuma arma constitui a paz, nenhuma ironia constitui o humor. A linguagem pode iludir. Os nossos humoristas, com se diz, ou como eles dizem, não passam muitas vezes de ironistas ou satiristas, e por certo que são necessários. Mas os melhores aliam os dois géneros: assim Bedos*, mais ironista quando fala da direita, mais humorista quando se refere à esquerda, puro humorista quando fala de si próprio e de todos nós. Que tristeza, se só pudéssemos rir contra! E que seriedade, se só dos outros soubéssemos rir! A ironia é isso mesmo: é um riso que se leva a sério, um riso que troça, mas não de si mesmo; é um riso que faz pouco dos outros. […] Os dois registos podem certamente misturar-se a ponto de se tornarem indissociáveis, indiscerníveis, em tudo menos no tom ou no contexto. Assim quando Groucho Marx declara magnificamente: «Passei uma noite excelente, mas não foi esta.» Se o diz à dona da casa, no final de uma festa fracassada, será uma ironia. Se o diz ao público, no final de um dos seus espectáculos, será humor. Mas, pode também haver humor no primeiro caso, se Groucho Marx assume a sua parte de responsabilidade no fracasso da festa, como pode haver ironia no segundo, se, como às vezes acontece, o público tivesse muito pouco talento… Podemos gracejar à custa de tudo: do fracasso, da guerra, da morte, do amor, da doença, da tortura… Mas é necessário que este riso traga um pouco de alegria, de doçura e de leveza à miséria do mundo, e não traga mais ódio, sofrimento ou desprezo. Podemos rir de tudo, mas não de qualquer maneira. Uma história de judeus nunca será humorística na boca de um anti-semita. O riso não é tudo e não desculpa coisa alguma. De resto, tratando-se de males que podemos impedir ou combater, seria evidentemente culpável limitar-se a gracejar. O humor não substitui a acção e a insensibilidade pelo sofrimento alheio é uma falta. Mas, tanto na acção como na inacção, seria igualmente culpável levar demasiado a sério os seus próprios bons sentimentos, as suas próprias angústias, revoltas ou virtudes. A lucidez começa por si próprio. Daí o humor, que pode fazer rir de tudo, contanto que comece por rir de si mesmo.

*Guy Bedos é um escritor, comediante e actor Francês conhecido pela sua sátira política.

 

André Comte-Sponville in Pequeno Tratado das Grandes Virtudes

 

03
Mai19

Sede

Luisa Brito

ice cream.jpg

 

 

Levar-te à boca

Levar-te à boca,
beber a água
mais funda do teu ser –

 

se a luz é tanta,
como se pode morrer?

 

Eugénio de Andrade

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Luisa Brito

    Muito obrigada! Esta senhora, com todo este azul p...

  • Luisa Brito

    Muito obrigada Isa 🙏.Tirei a fotografia a esta sen...

  • Sandra

    que partilha fenomenal! Tanta realidade e sentime...

  • Isa Nascimento

    Uma verdade intemporal que teimamos em ignorar...B...

  • Luisa Brito

    Obrigada. Muita saúde também!

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D